não te amo
 Ouve-se entre casais, com muita frequência, uma mensagem que é passada subjetivamente, passando mais ou menos a seguinte informação: 
_ Eu não te amo como você é;
_ Eu amo ele/ela, mas…
É lógico que isso não é dito claramente, o recado é passado através de queixas, ou agressões verbais e até humilhações para com o companheiro(a).
Acredito que AMAR  alguém, deveria incluir as imperfeições do outro.
Mas não é o que se vê por aí
Estranhamente essa pessoa de quem você se queixa, é a mesma pessoa que você conheceu, namorou e elegeu para ser seu companheiro(a) de jornada.
* Mas o que aconteceu para que aumentasse tanto assim o seu nível de cobrança sobre o outro?
* Você sabia que nós não atraímos nada muito diferente de nós mesmos?
* O que houve que tanta coisa já não lhe serve mais?
* Mas por que você já não aceita mais seu parceiro como ele é?
VOLTE A ANÁLISE PARA VOCÊ
Procure analisar a si mesmo, focando os pontos que mais lhe incomodam nele/nela. Porque tudo o que julgamos ou criticamos no outro, é algo que temos em nós e não queremos ver, é algo que temos em nós e não queremos admitir, é algo em nós mas que queremos ocultar….
deficiencia
 Na verdade fazemos uma projeção inconsciente sobre o outro. 
Projetamos em duas situações:
1- Quando temos um comportamento ou qualquer outra coisa e queremos esconder dos outros, passamos a criticar ou a julgar o outro para não mostrar aos outros o que estamos escondendo. Tipo, se eu criticar nele, os outros nunca vão desconfiar que eu seja assim também.
2- Quando o outro tem facilidade em alguma coisa, ou seja, uma habilidade que não temos e o outro tem uma facilidade enorme, desempenhando-a com maestria, então, pode nos incomodar e reagimos com críticas e em outros momentos sentimos inveja ou raiva.
“Eu tinha uma grande dificuldade para falar em publico, e uma amiga minha fazia isso naturalmente frente a uma platéia, e isso fazia com que eu não gostasse dela, e passava a sentir irritação quando a via falar. E um dia desses “caiu a ficha”, entendendo o “X” da questão,  simplesmente o desconforto que eu sentia em relação à ela deixou de existir. “Está lembrada minha amiga Patricia???!!!(eu falei para ela depois que isso não me incomodava mais, rsrs).”
O processo de “querer” descobrir e aceitar “dentro de si” o que irrita no outro, não é nada mais nada menos que você “se vendo no outro”. E quando o fazemos sem resistências, “curamos” a nós mesmos, usando a INTROJEÇÃO. Ou seja, em vez de projetar a “imperfeição” para o outro, eu me volto para mim mesma e humildemente passo a entender que “também sou assim”.
não te amo mais 3
Busque o Autoconhecimento, escrevi sobre conhecer a si mesmo no Metablog, um blog doBruno Simomura (entre no blog dele, leia o texto e aplique as dicas).
Autoconhecimento é uma “ferramenta” imprescindível para ter AUTOCONFIANÇA. 
Sem autoconfiança passamos a fazer certas cobranças do tipo:
* Por que aquela blusa decotada, que você tanto gostou no dia em que conheceu sua namorada, agora é uma vestimenta proibida e abandonada dentro do roupeiro?
*Por que o jogo de futebol que seu namorado jogava ao conhecê-la, está sendo motivo de constantes brigas semanais?
Quando temos, autoconhecimento e autoconfiança muitas coisas, para as quais damos muita importância, vai deixar de fazer parte de nossa vida, e a caminhada fica muito mais “leve”.
Porque você não experimenta e para com esses dramas de controle?
E você? 
Tens algo para compartilhar? Coloque aqui! 
Tens algo para complementar? Coloque aqui também!
 Nunca comentou num blog? Experimente agora!
Para comentar não é necessário ter um blog, é só colocar seu nome e email. 
O email não será divulgado, portanto é  seguro comentar. Se você gostou ou achou interessante do que acabou de ler, aproveita para “curtir”, compartilhar essa página nas redes sociais, é só clicar logo abaixo, escolhendo sua rede social. Não deixe para depois o que pode ser feito agora!!
Edi Kalsing trabalha como Terapeuta Holística e nas horas vagas escreve para o blog "O Blog do Autoconhecimento" e além disso está lançando uma técnica pioneira de "Transformação Emocional". Acredita que podemos estar sempre fazendo algo para deixar um mundo melhor.

8 respostas a “Eu NÃO TE AMO Como Você É…”

  • Edi querida,

    O ponto número 2 de seu post, para mim, é o ponto central dos conflitos dos casais. Acontece que, quando apaixonadas as pessoas, geralmente, se encantam pelas características que o outro possui que ele próprio não possui, mas, gostaria de ter.
    Por exemplo:
    Ele é muitorelaxado com a organização do tempo e da casa e ela é toda organizada com tudo (exemplo clássico, né?), com isso ele se encanta com a possibilidade de viver ao lado dela e gnhar mais organização na vida. Enquanto ela, se apaixona pela idéia de ser mais despojada, sem precisar de tanto rigor para tudo, que sempre esteve acostumada. Então eles se casam, ambos não conseguem viver esse aspecto da personalidade do outro e se frustram. Ficam com raiva por o outro conseguir com tanta facilidade e naturalidade e eles sofrerem com isso…

    Obrigada pelo texto!!!

    Você está a cada dia melhor e seu blog também!

    bjs!!

    Pâmi Garcia
    http://pamigarcia.com

  • Querida Pâmi!!! Que complementação maravilhosa você deixou para meu artigo. Muito obrigada de coração!! Ao escrever o texto acima eu senti que faltava exatamente o que vcoê colocou nesse comentário, mas como eu não estava sabendo como colocar para que ficasse claro, e “milagorasamente” você o fez para mim, colocando de uma forma bem clara. Muito obrigada pelo comentário Pâmi!! Um grande beijo!!

  • Também adorei o texto, Edi… muito bom mesmo. Eu acho que nós nos apaixonamos pela imagem que criamos da outra pessoa e quando percebemos que ela é diferente dessa imagem criada por nós na nossa cabeça, achamos que ela mudou. Tudo o que achamos maravilhoso quando conhecemos alguém é aquilo que idealizamos no outro.
    É muito louco tudo isso… Mas é a mais pura verdade tudo o que vc escreveu. Adorei e vc, como sempre está de parabéns!!!
    Beijocas de luz no seu coração já tão iluminado 🙂

  • Querida Cristal, já me acostumei tanto com teus comentários que quando ele não está na lista, tenho a impressão de que está faltando algo, rsrsr. Você sempre complementando e enriquecendo o conteúdo, isso é muito bom. E é como vc diz, “é muito louco isso”! vamos levar um tempo para entender a fundo esses ensinamentos, mais dia menos dias estaremos dominando essa nova percepção. Muito obrigada por comentar, Cristal!! Grande beijoo!!

  • Olá Edi,

    Quero te agradecer pelo conhecimento que vem me trazendo nos artigos do teu blog, COMENTO esse post justamente porque penso como você sobre esse assunto, normalmente depois de algum tempo de relacionamento queremos mudar a pessoa com quem nos relacionamos. Ora, se a pessoa mudar conforme nossos desejaos já não mais será a pessoa por quem nos apaixonamos…

    Um beijo no coração.

    Mika

  • Querida Miram!!! (A GRANDE Mika) Por essa mulher eu tenho uma enorme admiração!! E sou eu que quero te agradecer por deixar sua opinião em meu blog, fiquei surpresa e feliz!! Você complementa com muita inteligência nessa frase, “se a pessoa mudar conforme nossos desejaos já não mais será a pessoa por quem nos apaixonamos…” Obrigada Mika!!! Um grande abraço!!

  • Olá Edi querida !!!

    Olha eu aqui fugida do trabalho para papear hehehe
    Gostei muito da postagem, os esclarecimentos que nos trouxe são importantíssimos para uma relação ter sucesso e para detectarmos o que pode estar nos incomodando e mudar isso, contribuindo assim para um relacionamento saudável e com crescimento para ambos.
    Uma amiga minha sempre dizia para não nos iludirmos achando que depois do casamento a pessoa muda muito, o ideal é que tenhamos esta consciência e analisemos se vamos saber lidar com as características do outro no dia a dia.
    Aqui em casa somos opostos totais, o que fazemos para não nos irritarmos um com o outro é abrir a mente para o aprendizado, ou seja, um ouve o outro, está flexível para experimentar novas coisas, respeitamos as diferenças e no final, às vezes acabamos até adquirindo hábitos que consideramos interessantes e que aprendemos nesta troca.
    Esta prática de avaliarmos o motivo de irritação é muito útil e eficaz, pois quando descobrimos o porque desta aversão, conseguimos mudar o pensamento e até mesmo o sentimento que temos diante disso tudo.
    Se não nos esforçarmos para ter esta consciência, as relações podem até se acabar e outras nem começar, porque ao invés de aprendermos com isso, estaremos estagnados em uma conduta endurecida e sem perspectiva de evolução…
    Meu marido me mudou muito e vice versa, mas não por imposição e sim pelo que mencionei, expomos nossas qualidades, defeitos e opiniões e o outro está sempre aberto para considerar o que é bom 😉

    Arrasou ! Grande beijo e bom restinho de semana !! 😀

    • Olá Samanta!! Que fugidinha que me deixou muito feliz, rsrs Imagina no meio da tarde, cansada e só podendo olhar para a telinha do pc e de repente, tchananããã!! Um comentário!!!! E de quem?? Da Samanta!! Nossa tudo de bomm!!! Ah e quero agradecer pela parte II do meu artigo (deixado por vc!!) muito boas as suas abordagens, e exemplo pessoal e tudo. E aprendi tb muito nos meus 26 anos de casada, principalmente do que vc fala que é a flexibilidade!! Muito obrigada por comentar, Samanta. Um big beijo em teu coração!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *