Você Sabe dizer Não ou Tem Pena

você sabe dizer não

Você Sabe dizer Não ou Tem Pena

Dizer não faz parte das escolhas e do autorrespeito!

Você é o tipo de pessoa que  sai correndo o tempo todo para ajudar os outros,  o “tadinho”?
Você sabia que existe a Lei da Vida, e que acabamos por receber “um troco negativo” quando agimos assim?
Isso mesmo, aquela expressão “levamos um ponta pé”, ou “uma facada nas costas” tem tudo a ver com querer ajudar por piedade ou mesmo para parecer o bonzinho. Fazemos com boa intenção, mas ajudar por piedade ou para parecer o bom, nunca deu certo, nem nunca dará.
Geralmente agimos assim porque temos algum interesse porque queremos ser vistos como o bonzinho ou a boazinha!!
Você sabia que quem sofre um assalto, ou perde dinheiro é porque essa pessoa se DESvaloriza? = Tira os valores de si mesmo.
Portanto, quando não nos VALORizamos, acabamos sendo assaltados, roubados e desempregados.
Isso é consequência de nossa própria DESvalorização e por não saber dizer não.
Desvalorizar a nós mesmos, é nos deixar em último lugar para sair ajudando todo mundo.
  Cada vez que você diz:
_ não vou falar nada e “engole sapos”;
_ “vai pegar mal”. – está lidando com a vaidade e deixando SUA VERDADE para trás.
A partir de então,e sem saber dizer não, começam a acontecer coisas mais graves em sua vida.
Pode achar piada, mas até cães de rua passam a avançar em quem não se valoriza. Quando nossos filhos começam a apresentar sintomas de mal estar, febres, vômitos, podem ser sinais de que a energia da casa não está boa, o que também vale  para o cãozinho da casa. Quando ele adoece de uma hora para outra, é sempre bom fazer uma autoanálise de “Como eu estou assumindo minha própria vida?”.
Isso sem falar nas noites em que acorda com taquicardia, com um peito apertado, com falta de ar, uma angústia tão grande que pensa que vai morrer… Poderia ser porque não conseguiu dizer não para alguém?
A pergunta que lanço é a seguinte:
 _ Porque você ainda está querendo fazer ou resolver o que é dos outros se tem uma casa para cuidar, um marido/esposa para fazer companhia, filhos para criar, um trabalho de 8 horas para cumprir e uma vida que é SUA para cuidar…? Você acha que já não tem o suficiente para se dedicar? Você não acha que está na hora de dizer não?
Você percebeu que abandonou o que seria a SUA responsabilidade para cuidar da dos outros só porque não soube dizer não?
dizer não
Se você já tem uma família formada, com marido/esposa, filhos ou simplesmente saiu e foi morar com seu parceiro/parceira, assumiu uma nova família e está na hora de se dedicar ao que VOCÊ ASSUMIU. E pode ter certeza que os outros vão saber o que fazer enquanto você estiver cuidando do que é SEU. Até porque isso é tarefa deles e NÃO sua.

Precisamos deixar de ser prepotentes e achar que somos os “Salvadores da Pátria” e dizer não.

Temos a ilusão de que se formos bacanas, bonzinhos,  teremos amor, reconhecimento, aplausos. Mas isso é só na fantasia, não é assim que funciona na Vida real.
O bonzinho/boazinha pega todas as cargas das pessoas , todas as responsabilidades, se mata para fazer tudo para os outros, e quando menos espera o outro se volta contra. Acontece que o outro precisa culpar alguém pelo “seu fracasso”, e sobra para quem estava “resolvendo” os problemas dele. (ou isso nunca aconteceu com você?)
Precisamos aprender a dizer NÃO. Sabemos que o povo vai falar, mas precisamos aprender a dar forças a nós mesmos.
“NÃO”, é a palavra mágica.
Aprender a dizer não quando o peito aperta, ou quando algo me diz que não é para fazer, isso é viver a Vida inteligentemente.
Bonzinho/boazinha, não é bom/boa.
A BONDADE vem lá do fundo do coração, ela surge da INTUIÇÃO. É quando fazemos um tanto e o restante o outro faz. É onde é bom para ambos.
Se você se encaixou nesse papel de bonzinho ou boazinha, saiba que a vida sempre traz uma oportunidade de aprender, e esse assunto que  acabou de ler é A SUA OPORTUNIDADE…
Pense nisso com carinho!!

Precisamos “desaprender” idéias que praticamos e que já não funcionam mais na vida…

Complementei o final do artigo com o comentário da Cristal Fanucci:
_Uma vez eu aprendi a fazer 3 perguntas antes de ajudar alguém:
1. A pessoa te pediu ajuda?
2. Vc tem condições reais de ajudar?
3. Vc quer ajudar?
Se uma das 3 resposta for NÃO.. então esqueça e não ajude. Com certeza essa ajuda vai acabar virando contra vc mesma e te traazer muita dor de cabeça.

Image and video hosting by TinyPic

 

Nunca comentou num blog? Experimente agora!! 
Para comentar não é necessário ter um blog, é só colocar seu nome e e-mail.
O e-mail não será divulgado, portanto é seguro comentar.
Ah, você pode compartilhar essa página, para isso, clique no
Box Flutuante a esquerda da página e compartilhe em suas redes sociais.
O blog é seu também, você sempre será muito bem vindo(a)!!

Aprenda o poder de dizer não.

 

Edi Kalsing trabalha como Terapeuta Holística e nas horas vagas escreve para o blog "O Blog do Autoconhecimento" e além disso está lançando uma técnica pioneira de "Transformação Emocional". Acredita que podemos estar sempre fazendo algo para deixar um mundo melhor.

Comentários do Facebook:

Deixe um Comentário (16 comentários até o momento)


  1. Pâmi Garcia
    5 anos ago

    isso sem contar que quando ajudamos os outros por pena, estamos declarando que acreditamos que essa pessoa não é capaz de fazer as coisas darem certo em suas próprias vidas, e isso, no fundo não é verdade, porque todos nós podemos fazer nossas vidas dar certo!
    Assim, mais acertado seria ajudar a pessoa a descobrir suas potencialidade e utilizá-las da melhor maneira possível!

    Bjs para vc Edi Lindona!!!

    • Olá Pâmi!! Gosto muito dos seus comentários, eles vem sempre como uma complementação nescessária. E você deixou uma GRANDE VERDADE nessa frase que você citou: “quando ajudamos os outros por pena, estamos declarando que acreditamos que essa pessoa não é capaz de fazer as coisas darem certo em suas próprias vidas”. É bem isso, dessa forma tiramos dela a capacidade de mostrar a ela mesma de que é capaz de realizar e buscar suas coisas. Um grande abraço Pâmi, e mais uma vez, obrigada pela colaboração!!


  2. Kellen Medeiros
    5 anos ago

    Amei sua postagem!! Aprendi a dizer não pra muitas coisas que não são minhas!! Quando não quero algo pra mim sei que não vai me fazer bem simplesmente digo não, mesmo sabendo que posso magoar alguém. Nosso coração avisa quando devemos dizer sim ou não!! Basta escuta-lo. Suas postagens estão incríveis beijos querida Edi!!

    • Olá Kellen!! Quero antes de mais nada te parabenizar, pois conseguir dizer os “NÃOS” necessários assim como você o fez, é digo de respeito e admiração. Linda lição a sua, Basta escutar o coração não é mesmo? Muito obrigada por comentar Kellen e um grande abraço!!


  3. Cristal
    5 anos ago

    Uma vez eu aprendi a fazer 3 perguntas antes de ajudar alguém:
    1. A pessoa te pediu ajuda?
    2. Vc tem condições reais de ajudar?
    3. Vc quer ajudar?
    Se uma das 3 resposta for NÃO.. então esqueça e não ajude. Com certeza essa ajuda vai acabar virando contra vc mesma e te traazer muita dor de cabeça.
    Linda postagem, Edi… como sempre vc é muito dez!!!!
    Beijos no coração, linda.

    • Olá Cristal!!Que fantástico o que você deixou para nós Cristal!! 3 perguntas de “Vital Importância”, que deveriam constar no artigo, acho que vou acrescentar e colocar os créditos para você, rsrs Muito bom mesmo!! Muito obrigada por comentar!! Um super abraço querida!!


  4. Bruno Simomura
    5 anos ago

    Edi,

    Muito bacana o artigo, e acredito que valorização pessoal, bem como a aplicação de prioridades são fundamentais para uma vida mais organizada, saudável e motivante.

    Abraços

  5. Olá Bruno!!
    Eu acredito que saber dizer não é a melhor forma de autorespeito. Eu precisei aprender a duras penas, e hoje em dia sei muito bem dizer NÃO.
    É gratificante, quando damos o SIM para nós mesmos, pois isso faz a vida ficar do jeito que vc descreveu: “uma vida mais organizada, saudável e motivante.”

    Um forte abraço e muito obrigada pelo comentário Bruno.


  6. Ezequiel da Silva
    5 anos ago

    Olá Edi, bela matéria, concordo plenamente! Temos uma só vida e devemos cuidar dela, do contrário viveremos para os outros.

    Abraços.

    • Oi Ezequiel!! Que bom ver você por aqui!! E gostei muitissimo da parte final do seu comentário: “do contrário viveremos para os outros.” Se todos tivessem essa clareza de visão em relação à suas vidas, os sofrimentos seriam bem menores.Muito obrigada pelo comentário Ezequiel, grande abraço!!


  7. Alface Menina
    5 anos ago

    Bons Ventos!

    eu ja tive gente querendo”ajudar” e depois ficou toda ofendida
    pq eu nao valorizei a ajuda ou n aceitei. virou quase uma imposição
    Muita vezes é muito mais facil olhar pro jardim do vizinho!
    adorei teu texto
    cafuné proce!

    • Olá Alface Menina!! Muito obrigada pela sua colaboração deixando um comentário. Você aprendeu batendo a cara assim como eu. Nossa, e demorei pra me dar conta disso. Parabéns por você ter percebido a tempo. Um grande abraço e obrigada por comentar!!!


  8. Mário
    5 anos ago

    já há muito tempo aprendi dizer não, apesar de muitas vezes ser criticado por isso, ouvindo, “você só pensa em você mesmo”, porém, quando realmente é necessário ajudar, só você é quem vai ter essa percepção, o seu coração, o seu eu interior vai lhe dizer a hora certa de ajudar, pois, temos que aprender a “andar com as próprias pernas” e não usar outros como muletas.
    E, eu sei muito bem do que você está falando nesta postagem Edi.
    Parabéns, muito bom o artigo.
    Abraço.

    • Olá Mário!! Fiquei muito feliz com sua participação em meu blog, e relatos como o seu, enriquecem muito o meu artigo. É libertador quando se descobre que está no coração e na intuição o SIM e o NÃO, mas para isso precisamos saber nos sentir e “ouvir” de uma forma muito “íntima”. Muito obrigada pelo comentário Mário. Grande abraço!!

  9. Olá, Edi!

    Esse artigo é realmente fascinante! Muitas vezes acabei me identificando com algumas das coisas ditas e percebendo que as situações acabavam se encaixando: essa coisa de ser bonzinho demais realmente atrapalha. Esse é um conhecimento que fui adquirindo recentemente, pois não vale a pena se esforçar para ajudar quem não moveria um dedo por você.

    Em fevereiro, por exemplo, me ocorreu uma situação um tanto quanto desagradável ao tentar ajudar algumas amigas. Confrontei o diretor da minha escola sobre um problema ocorrido e ele ficou irritado com minha opinião. Com isso, independente de estar certo ou não, o diretor passou a descarregar sua fúria sobre mim. Não vou aprofundar porque acho que as coisas que ele acabou dizendo não cabem nesse comentário, mas quando olhei para o lado em busca de ajuda por parte das pessoas que tentei ajudar, percebi que estava completamente sozinho para enfrentar aquele problema que sequer era meu.

    Uma colega, que não tinha nada a ver com a situação, me amparou e disse algo mais ou menos assim: “Sei que é meio natural você tentar ajudar as pessoas, mas tenta pensar um pouco em você antes de fazer isso.” Hoje, tomo (ou tento tomar) mais precauções quando decido ajudar alguém que necessita.

    Minha mãe é o tipo de pessoa descrita nesse artigo. Carrega o peso dos problemas de todo o mundo nas costas, se sobrecarrega, se depara com situações horríveis por causa disso, mas poucos tentam ajudá-la. Creio que vou mostrar esse texto para ela e pedir que reflita um pouco, pois é difícil vê-la se deixando de lado para auxiliar todos que a rodeiam. Acho até que herdei um pouco dessa característica, mas felizmente estou tentando controlar essa coisa meio instintiva.

    Aliás, pouco antes de ir para a aula, li o título do artigo e pensei: “acho que não tenho dificuldade em dizer não”. Mais tarde, na escola, uma menina me fez uma pergunta e, embora minha resposta verdadeira fosse não, disse “talvez”. Isso me fez refletir muito agora! Talvez eu devesse trabalhar um pouco mais essa minha parte e não temer dizer “não” quando necessário.

    Parabéns pelo ótimo conteúdo do blog e artigo, Edi! Eu vou estar sempre lendo algumas coisinhas mais antigas e acompanhando as atualizações, além de comentar sempre que sentir vontade. =P

    Um abraço!

  10. Nossa Gustavo!!! Que comentário fantásticooo!!! Que bacana que desde cedo, você está entendendo a palavra mágica do “NÃO”. Sabe, se olharmos por um outro prisma a situação que aconteceu com as meninas e o diretor, acredito que essa foi uma oportunidade de aprender PARA SEMPRE que não se sai por aí tomando dores dos outros. Acontece que não somos vítimas de nada, antes de uma situação se apresentar pra alguem, com certeza a pessoa “semeeou” comportamentos, pensamentos e palavras que surtiram na “colheita” dessa realidade. Amei seu comentário, e quem sabe terei mais uma leitora, “sua mãe” rsrs vou gostar. Muito obrigada por comentar Gustavo!! Grande e forte abraço!!!

audio-adminsitrando_a_ansiedade_3.jpg

.